.mais sobre mim

.Quem Somos Nós

O Jardim de Infância pertence ao Agrupamento de Escolas Guilherme Stephens e situa - se na cidade da Marinha Grande, distrito de Leiria, Portugal. Funciona em duas salas de actividade, cada uma com vinte e cinco crianças de idades compreendidas entre os três e os seis anos, duas Educadoras de Infância e uma Assistente Operacional.

.Os Nossos Projectos

"Biblioteca Coelhinho Branco" ___________________________________________________ Comenius - "Come2gether" __________________________________________________ "Olá Europa"

.Julho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

contador gratis

.Quem me visita


contador gratis

.pesquisar

 

.posts recentes

. FIM

. Ultima semana

. Dia Mundial da Criança

. XI Aniversário da Bibliot...

. Semana da Leitura

. Páscoa

. Dia do Pai

. Visita à quinta pedagógic...

. V Festa da Sopa

. O Palhaço foi à nossa esc...

.tags

. actividades no jardim de infância(8)

. actividades promovidas pela associação d(5)

. articulação com outros ciclos(7)

. banho na piscina(1)

. caixa para o dia da mãe(1)

. cartão(1)

. datas comemorativas(10)

. dia da alimentação(3)

. dia do pai(6)

. festa do dia-do-pai(4)

. hoje não há espectáculo(1)

. mascotes das bibliotecas(1)

. papel de embrulho(1)

. prenda do dia do pai(4)

. semana da europa(1)

. semana da leitura(1)

. todas as tags

.arquivos

.links

.Tradutor- Translation of the pages

.subscrever feeds

Domingo, 3 de Abril de 2011

Dia Internacional do Livro Infantil

A 2 de Abril comemora-se o Dia Internacional do Livro Infantil. Foi escolhido este dia por ser a data de nascimento de Hans Christian Andersen, autor Dinamarquês que escreveu vários contos infantis lidos em todo o mundo, dos quais podemos mencionar  "O Patinho Feio", "A pequena Sereia", "A Menina dos Fósforos", "O Soldadinho de Chumbo" entre outros.

Mensagem do 2 de Abril de 2011, Dia Internacional do Livro Infantil

O livro recorda

Aino Pervik

"Quando Arno e o seu pai chegaram à escola, as aulas já tinham começado."

No meu país, a Estónia, quase toda a gente conhece esta frase de cor. É a primeira linha de um livro intitulado Primavera.  Publicado em 1912, é da autoria do escritor estónio Oskar Luts (1887-1953).

Primavera narra a vida de crianças que frequentavam uma escola rural na Estónia, em finais do século XIX. O Autor escrevia sobre a sua própria infância e Arno, na verdade, era o próprio Oskar Luts na sua meninice.

Os investigadores estudam documentos antigos e, com base neles, escrevem livros de História. Os livros de História relatam eventos que aconteceram, mas é claro que esses livros nunca contam como eram de facto as vidas das pessoas comuns em certa época.

 Os livros de histórias, por seu lado, recordam coisas que não é possível encontrar nos velhos documentos. Podem contar-nos, por exemplo, o que é que um rapaz como Arno pensava quando foi para a escola há cem anos, ou quais os sonhos das crianças dessa época, que medos tinham e o que as fazia felizes. O livro também recorda os pais dessas crianças, como queriam ser e que futuro desejavam para os seus filhos.

 Claro que hoje podemos escrever livros sobre os velhos tempos, e esses livros são, muitas vezes, apaixonantes. Mas um escritor actual não pode realmente conhecer os sabores e os cheiros, os medos e as alegrias de um passado distante. O escritor de hoje já sabe o que aconteceu depois e o que o futuro reservava à gente de então.

 O livro recorda o tempo em que foi escrito.

 A partir dos livros de Charles Dickens, ficamos a saber como era realmente a vida de um rapazinho nas ruas de Londres, em meados do século XIX, no tempo de Oliver Twist. Através dos olhos de David Copperfield (coincidentes com o olhar de Dickens nessa época), vemos todo o tipo de personagens que ao tempo viviam na Inglaterra — que relações tinham, e como os seus pensamentos e sentimentos influenciaram tais relações. Porque David Copperfield era de facto, em muitos aspectos, o próprio Charles Dickens; Dickens não precisava de inventar nada, ele pura e simplesmente conhecia aquilo que contava.

São os livros que nos permitem saber o que realmente sentiam Tom Sawyer, Huckleberry Finn e o seu amigo Jim nas viagens pelo Mississippi em finais do século XIX, quando Mark Twain escreveu as suas aventuras. Ele conhecia profundamente o que as pessoas do seu tempo pensavam sobre as demais, porque ele próprio vivia entre elas. Era uma delas.

Nas obras literárias, os relatos mais verosímeis sobre gente do passado são os que foram escritos à época em que essa mesma gente vivia.

O livro recorda

Tradução:José António Gomes

 Nascida em 1932, na Estónia,Aino Pervik publicou cerca de meia centena de livros para crianças, a par de poesia e narrativas para adultos. Distinguida com vários e prestigiosos prémios e traduzida em diversas línguas, obras suas têm sido adaptadas ao teatro e ao cinema. A velha mãe Kunks, Arabella, a filha do pirata, Paula aprende a sua língua  (integrado numa série protagonizada pela mesma personagem), são apenas três dos seus títulos mais conhecidos.

A Mensagem do Dia Internacional do Livro Infantil é uma iniciativa do

IBBY (International Board on Books for Young People), difundida em Portugal pela APPLIJ

(Associação Portuguesa para a Promoção do Livro Infantil e Juvenil), Secção Portuguesa do IBBY.

publicado por Jardim de Infância da Boavista-Marinha Grande às 21:55
link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?